24.4.11

AMOR LOUCO (meio verídico, meio fictício)


começamos a namorar e nunca imaginamos que este amor iria chegar tão longe, tão fortemente vencedor, nunca pensamos que conseguiríamos chegar onde chegamos hoje, nem nunca pensamos ultrapassar tantas metas com sucesso... talvez porque o nosso amor é louco, eu sou louca por ti, e tu és louco por mim, e juntos formamos um amor louco, consequente de um mero de café, estconhecimento ava eu com as minhas amigas a tomar um café, confesso não gostar muito de café, é amargo, mas quando te vi, enquanto tomava o café, o meu café tornou-se doce, como tu conseguiste tornar a minha vida doce, doce todas as manhãs... passas-te por mim e pelas minhas amigas com o teu jeito de menino crescido, homem forte, conquistas-te o meu coração no primeiro instante que ele te viu e os meus olhos te gravaram no meu pensamento, passas-te de novo e contigo deixas-te um bilhete que dizia: aparece lá fora, fico à tua espera, e eu fui, fui ter contigo, e estava frio, mas tu aqueceste o meu coração, e foi aí, no meio de tanto calor que demos o nosso primeiro beijo... a partir desse dia, não te esqueci mais, voltei durante três meses sempre ao mesmo café e nunca mais te vi, então desde aí, todos os dias o meu café era amargo, e nem uma centena de açúcares o tornavam doce, tão doce como tu aos meus olhos. e como por acaso a vida tem as suas coicidências, ou talvez mesmo seja o destino, após três meses sem te ver, apareceste tu do nada, naquele campo de futebol, eu não queria nada ir ver o jogo, mas o meu pai bem que insistiu comigo, e ainda bem que o fez, porque mesmo no meio daquela multidão toda eu consegui te ver de longe, só para tu veres o quanto és brilhante aos meus olhos, foste para uma esquina que reparava em nós de lado, e foi ai que demos o nosso segundo beijo, e daí por diante fomos como unha e carne, nunca mais nos separamos...
tivemos os nosso momentos de emoção, momentos de paixão, de amor, de fantasia, de silêncio, de glória, de conquista, de paz, de agitação, sorrimos inúmeras vezes, choramos juntos as lágrimas do mesmo mar, dormimos juntos, e completamo-nos, fazendo amor, amor verdadeiro, amor puro, que só a nossa cama pode contar como foi apaixonante, ter-te em mim, seres meu, como as ondas são do mar, fica sabendo que por mim ficava assim para sempre: em ti, e tu em mim.
e é depois das nossas noites de longo amor, na minha cama ou na tua talvez, que adormecemos, fazendo concha, e sonhamos, sonhamos juntos um futuro a dois... és perfeito, és o homem perfeito: meu.
meu homem perfeito, tenho uma coisa a dizer-te, ou melhor, duas: amo-te e nunca me deixes. é bom ser tão tua, mas tão bom, ♥

4 comentários:

AnaM. disse...

lindíssimoooo princesa *.*

Anónimo disse...

digo-te já que amei o texto em cima, amei cada palavra que escreves-te, nota-se mesmo que existe um grande amor entre vocês, há de tudo na vossa relação, apesar de dizeres que o texto é semi verídico e semi fictício, acredito que tudo o que escreves-te tem muito amor no meio, nota-se nas palavras amor, em cada espaço, nota-se amor... estás de parabéns, escreves lindamente! ainda bem que voltaste ao blog, já tinhamos saudades! falo por todos. fica sabendo que sou uma grande admiradora dos teus textos.

nathalie gomes disse...

Nem sei que dizer, desde já muito obrigada pelo comentário, e muito obrigada por leres os textos. Sim, escrevo todos os meus textos com amor, acho que é a melhor maneira de se escrever: com amor.
Estou de volta para ficar, apesar de agora ser mais complicado devido ao retomar das aulas, mas nada é impossível (:
Obrigada mais uma vez, deliciei-me com o teu comentário! Nathalie Gomes.

AnaM. disse...

é mesmo fofinha, que horror :o
não tens de agradecer meu amor <3